gluteoplastia

Aumento dos glúteos: o que é melhor? Enxerto de gordura ou gluteoplastia com prótese de glúteo? Entenda as diferenças

Por Dr. André Ahmed

Enxerto de Gordura (lipoenxertia em glúteo)

✔ Um ótimo recurso!

✔ Seu próprio tecido é utilizado. Apenas retira de um lugar e coloca em outro.

✔ Menor potencial de dar volume. Em geral, é um resultado mais discreto do que aquele que se consegue com a prótese glútea.

✔ Menos previsível.

✔ Uma parte é absorvida (nem toda a gordura enxertada permanece).

✔ Risco de embolia gordurosa, sobretudo quando é colocado dentro do músculo.

✔ Depende da disponibilidade da gordura a ser coletada e da qualidade da mesma. Nem todas as pacientes têm gordura suficiente para coletar numa lipoaspiração, e algumas vezes a gordura não é de tão boa qualidade.

✔ O resultado pode oscilar conforme as mudanças de peso da paciente.

Prótese de Glúteo (Gluteoplastia)

✔ Maior potencial de dar projeção e volume.

✔ Não perde o volume com o tempo, não é absorvido.

✔ Resultado mais previsível.

✔ Não varia de volume de acordo com a oscilação de peso.

✔ Pode ser associada ao enxerto de gordura em casos específicos para refinamento.

✔ A prótese permanece no lugar, no plano intramuscular. Não cai.

✔ Também pode ser combinado com lipoaspiração para um melhor contorno dos flancos e da cintura para dar mais destaque ao resultado.

O melhor recurso para o seu caso deve ser conversado com o seu médico. Quando o desejo da paciente é o aumento substancial dos glúteos, a gluteoplastia de aumento com prótese de silicone tem melhor indicação.

Quando o aumento dos glúteos não é algo tão importante para a paciente, e sim o tratamento da gordura localizada, a lipoescultura com enxerto em glúteos pode ser melhor indicada. Ou seja, nesse último caso, “aproveita-se” a lipoaspiração para usar a gordura nos glúteos. É como se o aumento dos glúteos fosse um objetivo secundário.

Tudo vai de acordo com a expectativa da paciente.

Uma complicação temida do enxerto de gordura é a embolia gordurosa, que é potencialemente fatal. Claro que todo procedimento tem algum risco. A infecção na gluteoplastia é algo raríssimo de acontecer, mas caso aconteça, deve-se retirar a prótese, tratar a infecção e recolocar a prótese 6 meses depois. No caso do enxerto de gordura, a infecção pode ser mais difícil de tratar, mas também é um evento raro.

Tenho o exemplo de uma paciente operada por mim há 3 meses. Ela passou por uma lipoescultura com enxerto de gordura nos glúteos. Está bem satisfeita com os glúteos. Mas o aumento dos glúteos não era o objetivo principal dela. Por isso, o efeito da lipoenxertia nos glúteos superou as expectativas dela e, assim, ficou surpresa com o resultado. É interessante observarmos alguns detalhes: a lipoaspiração nesse caso resultou na coleta de uma boa quantidade de gordura e foi possível enxertar cerca de 600ml em cada lado. Cerca de metade disso, ou seja, 300ml deve ter permanecido em cada lado dos glúteos. O restante se degenerou e foi absorvido. A gordura que permaneceu nos glúteos também não tem o mesmo potencial de conferir volume, comparando com a prótese (mesmo que fosse uma prótese de 300ml). Nessa caso, a gordura coletada era de ótima qualidade para o enxerto. Nem sempre a gordura coletada apresenta tamanha qualidade. Em algumas pacientes a gordura tem menor potencial para dar volume aos glúteos.

Outro fato importante de ser dito é que a lipoaspiração, em si, tem o efeito de definir os flancos e reduzir a circunferência da cintura, e isso por si só já destaca mais os glúteos. Tanto isso é verdade que muitas pacientes que fazem apenas lipoaspiração (sem enxerto no bumbum), dizem que tiveram a impressão de que os glúteos aumentaram, simplesmente porque ganharam um melhor contorno corporal como um todo. Vamos lembrar que a avaliação da estética corpórea se baseia também na proporção entre as regiões.

Outro ponto-chave: não se baseiem por fotos de resultado de lipoenxertia glútea no pós-operatório imediato. Qualquer resultado de cirurgia plástica só pode começar a ser avaliado pelo menos 3 meses após a cirurgia, quando boa parte do edema já foi embora. Assim que a cirurgia termina, a gordura que foi enxertada no glúteo está toda ali, mas é importante sempre avaliarmos o resultado tardio, após ocorrer a absorção de parte da gordura enxertada. Em algumas pacientes, a gordura enxertada se integra mais e o resultado fica mais expressivo. Em outras, pode acontecer de não ter quase nenuhuma “pega” do enxerto. Por isso, é um método bom sim, porém mais imprevisível, e mais dependente de características individuais de cada organismo.

Ah… mais um detalhe… o que pouca gente sabe é que no pós-operatório da lipoenxertia glútea, é recomendável que a paciente evite deitar sobre os glúteos durante cerca de duas semanas. Quanto mais pressão exercer sobre a região enxertada, maior poderá ser a absorção. No caso da prótese de glúteo, também não se recomenda deitar diretamente sobre os glúteos por alguns dias, mas nesse caso, a intenção é mais de evitar uma dor maior.

Aproveitando esse post…. não custa repetir: jamais pensem em injetar substâncias nos glúteos, com o objetivo de aumentá-lo. O Metacril (PMMA) que for injetado, por exemplo, pode não trazer problemas agora, mas daqui a alguns anos pode levar uma intensa reação inflamatória, com difícil resolução. E que fique claro que não existe cirurgia para retirar apenas o Metacril. Cirurgias com esse objetivo acabam levando a deformidades nas áreas em que o produto está alojado, pois os tecidos adjacentes, como pele, gordura e músculo, precisam ser retirados em bloco. Diga não à Bioplastia e divulgue isso. Nem preciso dizer sobre silicone industrial, óleo mineral, hidrogel e etc… Que são até piores.

Acesse minhas redes sociais e saiba mais sobre o meu trabalho.

Dr. André Ahmed

Open chat